9 de agosto de 2022

A fila não anda: vacinação em Cairu continua em ritmo lento

Aplicação das doses chegou a parar por alguns dias no município-arquipélago e a segunda dose não avança, mesmo com estoque de imunizantes disponível.

0 160

O município de Cairu, que tem 18 mil habitantes,  demonstra, em seu Vacinômetro publicado diariamente, um baixo desempenho na imunização dos grupos prioritários nesse mês de maio.

Nos últimos quatro dias, por exemplo, a Secretaria de Saúde aplicou apenas 82 doses, uma média de pouco mais de 20 doses diárias. O número pode ser notado a partir da quantidade de doses em estoque a cada Vacinômetro publicado por dia (veja boletins mais abaixo dentro da matéria).

A aplicação da segunda dose também estacionou de 8 a 12 de maio, sem nenhum imunizante aplicado, permanecendo, por cinco dias seguidos, em 743 o número de vacinas administradas para a segunda dose. No dia seguinte, 13 de maio, dezenove foram utilizadas (segunda dose) e do dia 14 até o dia 18 de maio (ontem), apenas uma dose foi consumida para a segunda aplicação. O município dispõe de 352 imunizantes estocadas para a segunda dose.

Dia 08/05:

https://www.facebook.com/102145221843685/posts/159164836141723/

Dia 09/05:

https://www.facebook.com/102145221843685/posts/159805782744295/

Dia 10/05:

https://www.facebook.com/102145221843685/posts/160440242680849/

Dia 11/05:

https://www.facebook.com/102145221843685/posts/161059539285586/

Dia 12/05:

https://www.facebook.com/102145221843685/posts/161624525895754/

O ritmo lento não se justifica por falta de vacinas, uma vez que a própria Prefeitura informa o saldo em estoque, que até o dia 17, era de 871 doses no total (primeira e segunda doses somadas). Lembrando que no dia de ontem (18) o saldo de doses disponíveis em estoque cresceu de 871 para 1.029, fato que aponta que a cidade recebeu mais uma remessa de imunizantes. Ocorre que, o problema é o tempo que essas doses permanecem armazenadas sem ser aplicadas nos moradores do arquipélago.

14/05:

15/05:

16/05:

17/05:

Outro dado que chama atenção é o número de aplicação da segunda dose que estacionou desde a última sexta-feira, sem nenhuma dose utilizada.

A diferença entre os que tomaram a primeira dose (4.358 pessoas) e os que já estão com o esquema vacinal completo (receberam a segunda dose), que são apenas 763 munícipes, também é muito grande. São mais de 3.500 doses de distância entre a primeira e a segunda dose, o que significa que pouco mais de 4% da população cairuense está efetivamente protegida contra a Covid-19, número abaixo (menos da metade) da média estadual e nacional (de Imunização da população).

Na Bahia, o percentual da população vacinada é de 9,29% e, ao todo, 9,31% do total de habitantes brasileiros estão imunizados com a segunda dose (dados atualizados em 18/05/2021). Fonte: G1

Link para consulta:

https://especiais.g1.globo.com/bemestar/vacina/2021/mapa-brasil-vacina-covid/

Enquanto isso, os números de contaminados vem crescendo no município até ontem registrou 34 casos ativos somente na Sede. No total, Cairu tem 42 pessoas com a doença. O aumento de contaminados fez a Prefeitura publicar um decreto com medidas mais rígidas.

O Boletim de Vacinação divulgado pela Prefeitura diariamente apresenta informações de acordo com o sistema de acompanhamento da cobertura vacinal da SESAB, com números gerais de doses recebidas e aplicadas, mas não detalham o quantitativo de vacinas aplicadas por grupos prioritários.

O percentual de aplicabilidade das vacinas recebidas é de 86,6% para a primeira dose e de 68,4% para a segunda dose, que não são números ruins, mas a rotina de alcance diário da população e também no uso das doses à disposição da Secretaria Municipal de Saúde deve melhorar para atingir mais rapidamente novos grupos.

Um exemplo é que boa parte dos municípios do Baixo Sul já estão vacinando educadores a partir dos 40 anos de idade, mas Cairu ainda não chegou a essa faixa etária dos trabalhadores em Educação.

Os públicos-alvo divulgados há 4 dias atrás pela Prefeitura de Cairu mostram que a imunização contempla atualmente os idosos acima de 60 anos, os profissionais de Educação acima dos 50 anos, os servidores das forças de segurança e salvamento acima se 40 anos, população quilombola acima de 18 anos e com algumas  comorbidades (doenças pré-existentes). 

https://www.facebook.com/102145221843685/posts/162785125779694/

Último vacinômetro divulgado (18/05):

 

 

 

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.