17 de janeiro de 2022

Três Senadores já morreram de Covid no Brasil

Outros dois Senadores estão com a doença

0 59

 

A Covid-19 já tirou a vida de quase 290 mil brasileiros, entre eles, três Senadores da República: Arolde de Oliveira (PSD-RJ), aos 83 anos, que faleceu em outubro do ano passado; José Maranhão (MDB-PB), aos 87 anos, que morreu mês passado; e ontem, no dia 18 de março, o senador mais votado em 2018 por São Paulo, Sérgio Olímpio Gomes, conhecido como Major Olímpio, ex-militar, líder do PSL no Senado, aos 58 anos, que estava internado desde o início deste mês, quando seu quadro de saúde se agravou por complicações do coronavírus, mesmo tendo uma composição física forte e saudável sem nenhuma comorbidade.

Ontem, com a morte do terceiro senador pela doença, reascendeu a luz de preocupação no parlamento brasileiro, que suspendeu todas a atividades no Senado Federal e nos bastidores, fala-se em “choque” e “tristeza” que pode fazer o legislativo mudar de postura em relação a pandemia. Nos corredores do Congresso, a imprensa dava como palavra de ordem “uma profunda reflexão de que fortes atitudes precisam ser tomadas”. O Major Olímpio tinha tom de voz forte e defendia pautas sempre com discursos acalorados, mas era afável com os colegas e tinha bom relacionamento com todas as bancadas. Mesmo sendo o Senador mais novo dos que morreram da doença e o que tinha toda a teórica tese de que tinha tudo para se recuperar, além de ter feito parte da equipe de atletismo da Academia da Polícia Militar, teve comprometimento sério dos pulmões que forçaram os outros órgãos como fígado e rim.

Major Olímpio foi contaminado pela Covid-19 em uma reunião entre senadores e prefeitos, sendo que mais dois senadores estão afastados por causa da covid-19: Lasier Martins (Podemos-RS), de 78 anos, e Alessandro Vieira (Cidadania-SE), de 45 anos.

Suplentes:

Na vaga de Arolde de Oliveira, primeiro Senador brasileiro a morrer de Covid, tomou posse o suplente Carlos Francisco Portinho (PSD) pelo Rio de Jeneiro. Em substituição a José Maranhão, o Senador mais velho da atual legislatura que também faleceu de Covid, assumiu Nilda Gondim (MDB) pela Paraíba. No lugar de Olímpio, assume o empresário Alexandre Luiz Giordano, de 48 anos, agora Senador pelo Estado de São Paulo.

Doação de órgãos: 

A família do Senador Major Olímpio chegou a falar em doar órgãos, já que ele teve morte cerebral, mas nota do Ministério da Saúde de abril de 2020 não recomenda, devido ao risco de contaminação ao receptor. Uma nota publicada no Twitter do político informa que “Por lei a família terá que aguardar 12 horas para confirmar o óbito e está verificando quais órgãos serão doados. Obrigado por tudo que fez por nós, pelo nosso Brasil”.

Testes deverão ser feitos para confirmar a efetivação do desejo da família.

 

 

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.