22 de maio de 2024

30 de janeiro de 2024

Trabalhadores da Educação de Igrapiúna entram em estado de greve

Durante 8 dias, a categoria estará realizando uma programação de atividades de mobilização até que a Prefeitura apresente alguma proposta.

Em Assembleia Geral Extraordinária, convocada pela APLB para o dia 19 de julho, os trabalhadores e trabalhadoras da Educação de Igrapiúna saíram às ruas numa manifestação contra a postura da Prefeitura sobre a atualização anual de seus proventos.

Ao final, por decisão unânime, os docentes declararam “estado de greve” na Rede Municipal de Ensino.

A pauta de reivindicação é o pagamento do reajuste do Piso Nacional do Magistério.

O percentual de 14,95% de aumento salarial previsto em lei federal não ainda não foi pago pela Prefeitura de Igrapiúna.

O valor deveria ser incorporado desde janeiro de 2023 e agora, em julho, a gestão municipal ainda informava que estava fazendo análises e contas.

De acordo com a coordenação do Sindicato, apesar de inúmeras tentativas de negociação e paralisações anteriores, não houve acordo e o prefeito Manoel Ribeiro (PP) segue sem cumprir a legislação. Ainda segundo os filiados, apesar de ter oferecido, num primeiro momento, uma alternativa, o município logo abortou a proposta alegando dificuldades financeiras, sem nem sequer aguardar a avaliação dos servidores.

“Eles chegaram a enviar uma proposta e imediatamente pediram para desconsiderar invalidando qualquer diálogo. Continuamos na luta pela valorização e respeito à nossa classe. Piso é LEI”, disse uma professora.

A mobilização dos educadores tinha acontecido numa 1ª Assembleia quando foi sugerida a possibilidade de contenção de despesas para viabilizar o pagamento. Já na 2ª Assembleia, amplamente divulgada pela APLB e realizada após o prazo pedido pela gestão, a Prefeitura só foi se manifestar na hora do início da reunião, através de um ofício que informava que o município não teria condições de cumprir, devido a “falta de receita suficiente”.

Com a resposta negativa da Prefeitura ao pleito dos professores, o movimento da Educação continua até que se apresente alguma proposta.

O estado de greve permanece até o dia 28 de julho, podendo se renovar por mais tempo até que o prefeito reabra as negociações.

A APLB Núcleo Igrapiúna divulgou um comunicado informando a adesão de 100% dos participantes da Assembleia ao estado de greve e detalhou uma escala de comparecimento dos trabalhadores nas unidades de ensino, na maioria dos dias, sem a presença dos alunos.

 

 

Em nota, a Prefeitura de Igrapiúna nega qualquer interrupção do calendário letivo e informou que as aulas seguem acontecendo normalmente.

 

 

Deixe uma resposta