18 de abril de 2024

30 de janeiro de 2024

Cooperativa dos Agricultores Familiares do Baixo Sul entrega polpas de frutas para tradicional Picolé Capelinha

 

 

Olha o Picolé Capelinha! Todo mundo já ouviu alguém gritando nas praias baianas a chamada para esse tradicional picolé, que tem mais de 51 anos de existência. Só que a novidade é que o Capelinha está sendo abastecido agora pelas polpas de frutas da agricultura familiar da Bahia, evidenciando ainda mais o sabor da fruta em seus picolés.

Atualmente, a Cooperativa Ser do Sertão (Coopsertão), sediada em Pintadas, e a Cooperativa dos Agricultores Familiares do Baixo Sul (Coopafbasul), localizada em Ituberá, entregam as polpas de frutas para a empresa, o que gera renda para agricultores e agricultoras familiares e mais sabor para consumidores (as).

A presidente da Coopsertão, Valdirene Santos, valoriza a parceria comercial firmada com a indústria. “Essa parceria comprova a eficácia das nossas polpas de frutas que são 100% naturais, não tem aditivos nem conservantes. A gente compra a matéria-prima das famílias agricultoras, processamos e entregamos o produto, a fruta batida, para a Capelinha. Ter o nosso produto no picolé Capelinha nos dá visibilidade no mercado e gera renda para as famílias”, comemora Valdirene. A Coopsertão entrega as polpas de goiaba e aguarda mais parcerias para compor o grupo de fornecedores dos sabores de acerola e umbu.

Já Gileno Araújo, diretor-executivo da Coopafbasul, destaca a transformação de vida das pessoas a partir do crescimento da agricultura familiar da Bahia.

“As vendas das polpas de frutas têm muita importância na renda dos cooperados porque houve momentos em que as famílias não conseguiam comercializar o cupuaçu, por exemplo. Hoje, somos o principal fornecedor de cupuaçu do Baixo Sul. Parcerias como essa nos deixam felizes e mostram o potencial e a qualidade dos produtos da agricultura familiar”, pontua Gileno.

A Coopafbasul, nessa parceria com a Capelinha, entrega as polpas de frutas de goiaba, cupuaçu, cajá, mangaba e umbu.

A diretora de Comunicação e Marketing da Capelinha, Natália Freitas, explica os motivos da escolha das polpas de frutas da agricultura familiar.

“Valorizar os produtores locais e a agricultura familiar faz parte dos valores da Capelinha como empresa e a agricultura familiar utiliza métodos que convergem e respeitam o meio ambiente. Quando definimos o nosso fornecedor e o nosso picolé como “natural da fruta”, significa que estamos cuidando não só do sabor, mas também da saúde dos nossos clientes, pois, além da qualidade das frutas cultivadas, o uso mínimo de agroquímicos garante que nossos picolés sejam muito mais saudáveis”, analisou.

A Coopsertão e a Coopafbasul são cooperativas beneficiadas pelo Governo do Estado, por meio da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), empresa pública vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), que transformaram a capacidade de produção das famílias agricultoras.

Na Coopsertão, os investimentos foram na assistência técnica, implantação de uma unidade de produção de polpa de frutas com adequação da unidade e aquisição de máquinas e equipamentos, entre outras ações.

Na Coopafbasul, os recursos foram destinados para assistência técnica na base de produção, caminhão-baú e câmara-fria para logística e o armazenamento das frutas, além do fomento à produção de artesanato proveniente do coco da piaçava e da construção de galpão e estufa de secagem para grãos como cacau e açaí.

 

CAR Bahia
Deixe uma resposta