14 de abril de 2024

30 de janeiro de 2024

Lorena Leite se filia ao PSD e pode ser a primeira prefeita de Igrapiúna

Pelo seu trabalho na Saúde, ela está sendo cotada para se candidatar nas próximas eleições municipais.

 

A ex-secretária de Saúde de Igrapiúna, Lorena Leite, se filiou ao PSD, sigla cujo presidente estadual é o Senador Otto Alencar.

O convite foi feito pelo Deputado Federal Paulo Magalhães, que percebeu uma performance surpreendente dela nas pesquisas de intenção de voto, aonde a maioria dos entrevistados apontam a preferência pelo seu nome.

Lorena também assumiu a presidência do Diretório Municipal do PSD de Igrapiúna e vai conduzir o partido nas eleições de 2024, podendo ser umas das postulantes à Prefeitura.

Devido ao sucesso de sua gestão à frente da Saúde do município de Igrapiúna, Lorena hoje é Secretária de Saúde em Taperoá, pasta que comanda desde 2021 a convite da prefeita Kitty Guimarães.

Nos bastidores da política baiana, o nome de Lorena Leite tem sido comentado devido a um forte apelo popular para que ela se candidate, como mostram os números em pesquisas internas feitas pelo Estado e dos partidos que compõem o conselho político da base aliada governista.

Também nas ruas da sede e comunidades da região litorânea, a expectativa é que ela seja a primeira mulher a governar Igrapiúna.

Ao escolher o maior partido da Bahia em número de prefeitos e vereadores, e se unir com uma liderança como Otto Alencar, Lorena Leite tem a garantia de um palanque forte nas próximas eleições.

Lorena Lemos Leite tem 36 anos, é enfermeira e foi criada em Igrapiúna, aonde vive até hoje. Ela é filha caçula de Orlando Leite, agricultor, vereador por 2 mandatos, que contribuiu ativamente para o processo de emancipação política da cidade e muito fez pelo povo de Igrapiúna.

Sua mãe, Maria das Dores Leite, dona de casa, atuou como auxiliar de saúde no Hospital da Michelin, onde cuidou de muitas famílias igrapiunenses e pode ter inspirado a Secretária a seguir carreira na área da saúde e ter um perfil atencioso em relação aos doentes, principalmente pelo cuidado com pacientes em estado grave.

Seu trabalho é muito bem avaliado em Taperoá, assim como aconteceu nos 7 anos em que foi Secretária de Igrapiúna.

Durante sua gestão, a saúde de Igrapiúna passou a ser destaque em toda região pela resolutividade e acolhimento. Na época, ela implementou mudanças importantes na saúde pública da cidade, exemplo do Hospital Municipal que se consolidou como um Hospital Maternidade de Pequeno Porte, com práticas inovadoras de parto humanizado.

Deixe uma resposta