17 de janeiro de 2022

Grávidas só poderão tomar segunda dose da AstraZeneca após 45 pós parto

O Ministério da Saúde publicou uma Nota Técnica divulgada nesta quarta-feira (19) com as recomendações para gestantes e puérperas que receberam a promeira dose da vacina da Oxford (Fiocruz) e também para aquelas que ainda não se vacinaram.

0 18

O Ministério da Saúde divulgou hoje uma Nota Técnica recomendando que as gestantes e puérperas que chegaram a receber a primeira dose da vacina contra a Covid-19 da AstraZeneca / Oxford só devem receber a segunda 45 dias após o parto, ou seja, depois do período de perpério. A recomendação acrescenta ainda que as mulheres nessa condição devem ser avaliadas pelo médico para avaliação dos riscos para completar o esquema vacinal.

Na semana passada, a Anvisa publicou um alerta roentando a suspensão da imunização de grávidas com a vacina produzida pela Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz) em parceria com a Universidade de Oxford, devido ao um caso adverso em que uma mulher de 35 anos com 26 semanas de gestação morreu de AVC após a aplicação da vacina. O evento está sendo investigado para saber se há relação com a vacina.

Sendo grupo prioritário na atual fase do Plano Nacional de Imunização, o Ministério da Saúde decidiu que apenas gestantes com comorbidade devem ser vacinadas com os imunizantes da Sinovac (CoronaVac) e da Pfizer/BioNTech e que as que já receberam  esses dois tipos de vacinas devem tomar a segunda dose na data prevista no Cartão de Vacinação. A pasta federal informa ainda que cerca de 15 mil grávidas receberam a vacina da AstraZeneca no Brasil até o dia anterior do registro do óbito da gestante do Rio de Janeiro.

A determinação vale até que sejam concluídas as análises acerca do óbito mesmo ainda não tendo sido comprovado que a vacinação tenha causado a complicação.

Confira a Nota Técnica na íntegra clicando no link abaixo:

nota-tecnica-651-2021-cgpni-deidt-svs-ms

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.