22 de abril de 2024

30 de janeiro de 2024

Em visita do Governador, oportunismo político e desespero eleitoral são expostos

Mas não haverá portabilidade em 2024, já que Jerônimo continua afirmando: "Estarei com quem comeu sal e derramou lágrimas e suor comigo. A minha política é de gratidão".

 

Portabilidade consiste na possibilidade de troca comercial entre um serviço e outro que ofereça alguma vantagem ao cliente/consumidor. Saindo da aplicação nas relações comerciais, vê-se essa relação aplicada ao terreno das conveniências políticas, quando agentes públicos sabidamente adeptos de um grupo contrário ao outro, se aproveitam da visibilidade de um governante e colam nele, sugerindo uma aproximação.

No ramo da política, a portabilidade também pode funcionar. Aliás, a própria ciência política requer essas trocas e movimentações entre partidos e grupos, posto que a mola mestra que a justifica se chama mobilização coletiva, negociação entre forças agregadas para que o jogo democrático se organize e equilibre.

O problema é quando essa portabilidade é apenas conveniência. Quando pessoas notoriamente adeptas de uma corrente contrária – a exemplo de uma figura de um município vizinho a Valença – se utilizam da visibilidade do grupo opositor para aparentar aproximacão e disposição em consorciar-se com quem está no comando e confundir os eleitores. Isso subestima a inteligência do povo e denuncia o oportunismo de algumas figuras que não vivem sem os holofotes. Elas são fake news em carne, osso e alma.

 

Deixe uma resposta