14 de abril de 2024

30 de janeiro de 2024

Em vídeo que circula nas redes sociais, homem diz ter ódio de negros, admite ser racista e chama uma mulher de macaca

Ele já foi identificado como Sargento da Polícia Militar de Santa Catarina. Inquérito já foi instaurado.

 

Um vídeo está circulando pelas redes sociais de um homem, já identificado como Hélio Martins, de 57 anos, Policial Militar de Santa Catarina, morador de São Ludgero, a cerca de 180 quilômetros de Florianópolis. Ele aparece em pé aos gritos chamando o filho da mulher que faz a gravação de “negro desgraçado” e “pirracento”.

Ao ser questionado por ela do motivo de tanto ódio por “gente morena”, ele responde: “Porque eu tenho ódio, eu sou racista, eu não suporto negro. Eu tenho amigo negro, mas amigo descente, não essa negrada do c**** que é marrenta que nem tu”.

A mulher diz: “Você não bata em mim”. Ele então pega um chinelo nas mãos e a ameaça. “Quer ver? Fala de novo, sua macaca do c*****, demônio desgraçado”, diz.

O delegado Éder Matte, responsável pela Delegacia de São Ludgero, instaurou inquérito nesta sexta-feira (17) para apurar o crime de racismo de acordo com o artigo 20 da Lei nº 7.716/89, que prevê condenação de até três anos de reclusão e multa para pessoas que “praticarem, induzirem ou incitarem a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia ou religião”.

Ainda não se sabe quando o vídeo foi gravado, mas, de acordo com o delegado, o caso é recente.

Apurações preliminares apontam que a mulher não procurou a polícia e que o vídeo chegou até a polícia por meio de denúncias. Para o Delegado, trata-se de uma peça de confissão: “o vídeo fala por si. Falta pouca coisa para apurar”.

Em nota, a Polícia Militar de Santa Catarina confirmou que o homem que aparece no vídeo é sargento da reserva. O caso, segundo o órgão estadual, será encaminhado à Corregedoria Geral. “A PMSC repudia todo e qualquer tipo de violência contra a mulher ou vulnerável, bem como qualquer tipo de racismo. Diante deste fato, a referida ocorrência deverá ser apurada com rigor por todos os processos legais”, diz o comunicado.

 

Veja o vídeo: 

Deixe uma resposta