22 de maio de 2024

30 de janeiro de 2024

CONTÉM 1 GRAMA…DE RICARDO QUEIROZ

Há 10 anos, perdemos um pacifista da nossa cidade e a lembrança é sempre viva em nossos corações.

 

Sei que a vida é tão imediata e atribulada, que a maioria não vai ler. Mas, que aqueles que o fizerem, falem sobre Ricardo a quem não teve oportunidade de conhecê-lo e, com quem teve, também converse sobre a vida de um cara que definitivamente não era deste mundo. Por não se encaixar, em sua passagem breve por aqui, Ricardo tentou melhorá-lo, mudar as coisas de um jeito simples, caridoso e pacificador.

Infelizmente, o seu “fazer o bem sem olhar a quem” era uma espécie de “conta gotas” e cada gotinha era muito pouco para tanta miséria, tanto sofrimento que passa esse povo, mas esse pouco fez muita diferença na vida de muitos.

Ontem vi pessoas de todas as classes sociais, demonstrarem um amor e gratidão que mexeram muito comigo pela grandeza do bem que ele fez, da simpatia sempre solícita e bem humorada para conhecidos e desconhecidos. Vi Ricardo arrancar de anônimos e de famosos lágrimas sinceras e doídas. Vi homens, mulheres, jovens e crianças chorarem de verdade, o que é raro nessa nossa existência.

A emoção coletiva se transformou numa multidão, que eu, nos meus 30 anos de idade, ainda não tinha visto em minha Valença, num cortejo silencioso que só era interrompido por soluços, choros e palmas. Nunca vi em Valença uma coisa desse tamanho.

Os panos brancos nas janelas lembravam as várias Caminhadas da Paz que ele sempre ajudava a promover, como uma formiguinha tentando mudar as coisas.

Vi Ricardo interromper suas refeições diversas vezes para atender desde um mendigo a um drogado e até gente que até dava medo de conversar, que chegava em sua porta. Ele sempre tinha um prato de comida, uma palavra amiga, uma oração, oferecia um banho ou uma cesta básica ou mesmo ia na casa da pessoa tentar entender o problema e ajudar como podia.

Esse mesmo cara é abordado, trata o bandido com paciência e o chama de “senhor”. Pra quem ainda não sabe, ele disse: tenha calma, amigo, eu vou te dar tudo que vc quer…por favor, senhor, não faça isso…” De nada adiantou? Vamos gritar, mesmo no nosso silêncio: Fraternidade sim, Violência não! E você faz parte dessa mudança.

Mas esse desabafo de quem conheceu Ricardo como eu, não é para demonstrar revolta ou qualquer coisa que vocês estejam pensando…Escrevo porque quero pedir a cada um, que a partir do momento que ler esse texto, fale com seu vizinho, amigo, familiar ou até mesmo com um desconhecido sobre a vida de Ricardo. Sobre quem foi ele e o que ele fez em vida. Sobre sua mensagem de paz que não ecoou suficientemente em nossa terra, que ainda há de ser o nosso orgulho.

Sobre o HOMEM BOM que passou por aqui e fez a sua pequena parte, peço, meus amigos, honre a vida de Ricardo. Faça com que cada valenciano tenha, em seu coração e, principalmente no seu agir, a sua ação diária, pelo menos 1 GRAMA DE RICARDO QUEIROZ.

Tente fazer esse mundo melhor, olhe pelas outras pessoas. Leve a palavra de Deus, mesmo que não seja um grande conhecedor dela. Leve apenas a mensagem de amor que Jesus nos ensinou, insiste em plantar em nosso coração todos os dias e agente às vezes ignora. Seja melhor do que vc é hoje. Que a paz que sempre emanou desse nosso irmão Ricardo esteja em seu coração a partir de hoje. Que o exemplo que ele deu de fraternidade e bondade se impregne em você. Que a caridade seja uma parte da sua vida desse momento em diante. Que a morte dele não seja em vão, não seja mais uma nas estatísticas.

O lema de Ricardo era: FORA DA CARIDADE, DA FRATERNIDADE E DO AMOR, NÃO HÁ SALVAÇÃO. Independente de religião, que você pratique isso, nem que seja um pouquinho. Que a sua família seja a coisa mais importante, a base da sua existência, o seu alicerce e seu presente de Deus, mas que as famílias das outras pessoas seja também a sua luta diária. Que o seu suor seja molhado desse pequeno esforço por um mundo melhor.

Que você sempre tenha em mente o “Olhai e Vigiai” porque não sabemos o dia, mas sabemos que somos nada. Se prepare para a morte, não esqueça dela. Ela vem, sabemos disso, mas não nos incomodamos com a nossa certeira finitude.

Que o Ricardinho manso, terno, sereno, sincero, honesto, amoroso, gente boa, entre em nossa vida através das nossas ações e escolhas. Deus nos concedeu o poder de escolher muitas coisas, então vamos honrar essa dádiva.

“Bem-aventurados os de coração limpos, porque eles verão a Deus”. Que essa frase não seja apenas letras repetitivas em tantas lápides.

Nosso Ricardo praticou o que Jesus indicou para a humanidade e ela tanto rejeita: Amai-vos uns aos outros como eu vos amei.

Como diz um amigo meu, vamos transformar LUTO em LUTA.

Eu vou fazer isso. Vou levar Ricardo não apenas no meu coração e na saudade, mas no tempo que ainda me restar, na prática no cotidiano de uma cunhada que conviveu desde a infância com ele e só agora soube aprender a lição que ele deixou. Faça você também e seja breve, pois o tempo é muito curto. Não é apenas o mundo que você vai mudar, é o seu mundo. Tudo isso é muito pouco diante do que sinto. Então, meu desejo hoje é que em você, meu irmão, minha irmã, contenha 1 grama de Ricardo Queiroz.

 

Texto escrito e publicado no dia 7 de junho de 2013.

 

Por Luana Figueiredo.
Deixe uma resposta