13 de abril de 2024

30 de janeiro de 2024

Licitação publicada para revitalização do prédio da Câmara de Valença

Projeto será elaborado antes da obra. Avanço foi comemorado por Fabrício Lemos, atual presidente da Casa.

 

Na foto, vereadores entregam a reivindicação da reforma do prédio da Câmara ao Prefeito Jairo Baptista, em janeiro de 2022. 

 

A luta da atual mesa diretora da Câmara Municipal de Valença, comandada pelo vereador Fabrício Lemos, teve um avanço positivo. O prédio histórico será, finalmente, revitalizado. É o que diz o diário oficial do município do dia 20 de maio de 2022, que publicou o aviso de licitação para elaboração de projeto da reforma do imóvel mais importante da capital do Baixo Sul. Isso significa que a Prefeitura de Valença vai contratar uma empresa que, antes de reformar, deverá realizar estudos técnicos que avaliem o estado de sua estrutura e, depois disso, será elaborado um projeto que leve em conta a manutenção de sua  edificação genuína, tal como foi construída.

A possibilidade do monumento, que fica em frente ao Rio Una, ser requalificado e ainda presenvando a sua estética estilística, é um alívio para os atores culturais de Valença, em meio às ameaças de destombamento da antiga cadeia pública.

Segundo Fabrício Lemos, o antigo paço Municipal não é da Câmara, mas sim do povo de Valença, por ser considerado um patrimônio da cidade. Para ele, a missão de colocar o imóvel pra funcionar e novamente à disposição do público, não é fácil, mas ele acredita na conclusão e comemorou o passo dado.

Desde que assumiu a presidência da casa legislativa, o vereador Fabrício Lemos e demais parlamentares tem insistido pela reabertura da Câmara em seu local original, que está interditado há alguns anos, sustentado por escoras que ainda o mantém de pé.

Sem a “caneta” para executar, restou ao legislativo articular e solicitar apoio. Uma peregrinação em Salvador, visitas e reuniões ao Ipac e outros caminhos traçados marcaram o início da gestão do atual presidente.

Fabrício Lemos disse que considera uma “questão de honra” a entrega dessa obra e que tem esperança de conseguir realizar uma sessão lá ainda neste mandato.

“Reinaugurar a nossa casa será uma alegria. Estou focado nisso e o executivo finalmente atendeu a esse anseio popular que significa a devolução de um magnífico patrimônio à população e a valorização da nossa história. Nesse local, passaram nossos ancestrais e as gerações devem ter a oportunidade de conhecer o enredo cultural de sua terra natal. Pra isso, é preciso manter a memória viva de nossa cidade. Seguimos na luta!”, ressaltou o presidente.

Origens e Raízes: 

De acordo com a pesquisadora Rosângela Góes, escritora de um livro sobre a história de Valença, que ainda será publicado, o palacete, que se tornou sede do Paço Municipal em 1878, é um dos símbolos da identidade arquitetônica da cidade e foi construído em 1849, pelo Capitão-Mor de Valença, Bernardino de Sena Madureira, que era um dos proprietários da Fábrica de Tecidos Nossa Senhora do Amparo e uma das principais lideranças da região no século XIX. Esse palacete veio a hospedar o Imperador D. Pedro II e a Imperatriz Teresa Cristina de Bourbon, no período de 21 a 25 de janeiro de 1860, quando em visita a Valença para conhecer a Fábrica Todos os Santos. O prédio era a residência do Comendador Madureira, nome da rua onde está localizado, e foi adquirido pela Câmara Municipal de Valença pelo valor de 40.000$000, ou seja quarenta contos de réis.

 

Foto: Memorial da Câmara de Veradores
Deixe uma resposta