21 de janeiro de 2022

Ancestralidades africanas e kilombos

Por: Chico Nascimento Magonleji (Francisco Nascimento Magonleji é Arte-educador da Rede Pública Estadual da Bahia, Dramaturgo, Mestre em Ensino e Relações Étnico Raciais, Especialista em Estado e Direito dos Povos e Comunidades Tradicionais, Especialista em Teatro, Taata Kabondu Magonleji do Nzo Caxuté, Conselheiro Educacional do CEERT São Paulo-SP, Conselheiro do Teatro Escola Jorge Amado Salvador-BA, Referência Nacional em Gestão Escolar CONSED Brasília-DF).

0 94

A ancestralidade africana está ligada diretamente as nossas marcas genéticas, culturais, fenológicas, hereditárias e contextualizadas com as nossas vidas comunitárias e com as vidas que os nossos antecessores viveram.

Destacar a vida nos quilombos é, também, representar as nossas vidas nas comunidades, guetos, periferias, favelas e palafitas, sejam no perímetro urbano ou no campo, compreendendo as diferenças sociais, as lutas por direitos e as organizações da sociedade civil por políticas públicas igualitárias que destinem atenção e serviço público no contexto da diversidade, sem assistencialismo.

 

A Educação brasileira precisa desconstruir a visão exótica sobre as ancestralidades, compreender essa relação entre África e Brasil no contexto sócio, cultural e histórico, vinculado às mais diversas árvores genealógicas formadas a partir dos sequestros de Reis, Rainhas, Princesas e outras autoridades de África.

A sala de aula também pode se constituir em pequenos Kilombos de resistências, se é que deseja produzir epistemes fincadas na Diversidade, atuar proativamente na decolonialidade, quebrando as amarras eurocêntricas e investir no mundo científico afrocentrado, essa é uma forma de quebrar a sequência de história única da nossa nação.

 

Chico Nascimento Magonleji mora em Ibirapitanga – Bahia. 

—————

Nesta coluna “Não é Bem Assim”, o leitor do Baixo Sul em Pauta encontra confrontos de ideias, debates, discussões, polêmicas e reflexões sobre temas importantes que estão em pauta. São vários pontos de vista para você formar a sua opinião. Personalidades de nossa região tem espaço para publicar artigos de sua autoria, com argumentos e posicionamentos que podem ajudar a compreender melhor alguns assuntos.

O que você vai ver por aqui: Vamos virar do avesso vários textos que vemos publicados por aí para que você possa se aprofundar na informação e saber que, por trás de algumas matérias, sempre podemos ver que “Não é bem assim”…

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.