22 de maio de 2024

30 de janeiro de 2024

Alunos de Medicina de Valença publicam Nota de Repúdio contra ato da Assessoria da Faculdade Atenas

Com total falta de humanidade, a Assessoria Acadêmica agiu de modo a tentar impedir funcionários a prestarem socorro a estudante que passou mal no Campus. Como se não bastasse, os alunos relatam que foram coagidos, de forma implícita, a apagarem as publicações das redes sociais.

 

 

LIÇÃO A DESAPRENDER NA MEDICINA

Na última sexta-feira (10), um aluno do curso de Medicina da Universidade Atenas passou mal no campus da instituição, quando prontamente foi acionado o SAMU. A ambulância estava em outra ocorrência e não havia médicos presentes no momento.

Diante da situação, professores do curso de medicina, e estudantes, prestaram os primeiros socorros ali mesmo, já que a situação exigia cuidados imediatos.

Os colegas e professores constataram que não era possível aguardar o SAMU chegar porque o quadro do jovem poderia se agravar e evoluir a óbito.

Quando decidiram deslocar o aluno para a Santa Casa de Misericórdia, eis que uma atitude desumana da Assessoria Acadêmica (uma espécie de diretoria da Atenas) chocou a todos. A postura da Assessoria foi no sentido de tentar impedir o socorro que estava sendo prestado pelas professoras, alegando que a Faculdade não poderia “entrar em polêmicas” (prevendo que ali poderia acontecer a morte do rapaz e isso poderia ter uma má repercussão).

A comunidade acadêmica considerou como “inadmissível” a postura da Assesoria, já que a instituição está formando médicos e tem em seu quadro também profissionais de saúde.

As técnicas de primeiros socorros são básicas para qualquer estudante de medicina, e devem sim ser implementadas quando se tem as noções. Ademais, quando alguém precisa de socorro, o transporte imediato para uma unidade hospitalar pode fazer toda a diferença e ser decisivo para salvar vidas. Mas na lógica da Assessoria, seria preferível que todos ficassem parados e aguardassem a ambulância chegar?

Ora, como alguém que está no corpo diretivo de uma instituição de Educação não confia nos próprios profissionais que estão ministrando aula no curso de medicina?

De acordo com testemunhas, o tal assessor demonstrou pouquíssima preocupação com a vida do aluno e cometeu uma afronta aos princípios éticos da prática médica, ao priorizar a reputação da Atenas em detrimento dos riscos ao estudante.

Diante do ocorrido, os alunos da Turma IV de Medicina da Atenas divulgaram uma Nota de Repúdio endereçada, inclusive, à Direção Geral de Paracatu-MG, matriz da Faculdade Atenas, e exigem retratação pública. No texto, eles mostraram muita indignação e destacaram que agiram com solidariedade, já que estão comprometidos com a segurança e o bem-estar dos membros da comunidade acadêmica.

Os estudantes de Medicina também disseram que não há justificativa para a ação da Assessoria, sendo descabida a omissão de socorro, que põe vidas em risco.

A Faculdade Atenas ainda não se pronunciou sobre o caso.

Graças à prontidão no atendimento do aluno e ao profissionalismo dos professores, o estudante foi salvo e está internado num hospital.

Como se não bastasse todo o ocorrido, após as publicações nas redes sociais, os alunos da Turma IV foram coagidos, de forma implícita, a apagarem as publicações sob a alegação de que “a publicação foi feita sem o consentimento da Assessoria”.

O fato é que se isso realmente ocorreu, mais absurda ainda é toda a situação, sendo que os prints das redes sociais da Turma comprovam tudo o que foi noticiado nesta matéria.

Deixe uma resposta