14 de julho de 2024

30 de janeiro de 2024

ACM Neto vai pedir impugnação da filiação de Moro

Anúncio foi feito após o ex-juiz dizer que não desistiu de nada e não será candidato a deputado federal pelo União Brasil.

 

Após se filiar ao União Brasil sem avisar ao seu então partido, o Podemos, o ex juiz Sérgio Moro, que publicou uma nota ontem informando sobre a mudança e a desistência à candidatura à Presidência da República, hoje deu declarações em que diz que não desistiu de nada e que não será candidato a deputado federal por São Paulo.

No entanto, o União Brasil divulgou nota contradizendo o ex ministro da Justiça. Segundo o deputado Alexandre Leite, que assinou a ficha de Moro à nova sigla, se ele insistir, terá sua filiação impugnada.

 

Uma corrente do União Brasil já havia se manifestado firmemente ao se opor à candidatura presidencial de Moro pela sigla, embora reconhecesse que ele poderia “contribuir para o cenário político nacional”.

Com a saída de Sérgio Moro do Podemos, o ex partido dele está calculando os gastos com a sua pré-campanha para a candidatura à Presidência da República.

Segundo o site Uol, entre pesquisas eleitorais, eventos, salários e viagens de Moro, sua mulher, Rosângela, e sua equipe, a liderança da sigla estima cerca de R$ 2 milhões.

Em nota ao jornal O Estado de S. Paulo, Sérgio Moro justificou seus gastos, apontando que essa é a função do Fundo Partidário, que, em suas palavras, “serve para o financiamento de atividades da legenda e seus filiados, seguindo a legislação em vigor, o que foi feito em relação às despesas de pré-campanha”.

Hoje, já depois de filiado, Moro também resolveu falar por telefone para se desculpar com aliados que tinham migrado para o Podemos para apoiar sua candidatura. Nem o senador Alvaro Dias, que convidou o ex-juiz para o partido, nem a presidente da sigla, Renata Abreu, foram avisados com antecedência sobre a ida para o União Brasil.

Em meio à saia justa com o ex e o atual partido, Moro fez um pronunciamento à imprensa nesta sexta-feira (1°), mantendo a possibilidade de concorrer ao Palácio do Planalto.

Depois da coletiva de Sérgio Moro, ACM Neto, ex-prefeito de Salvador e ex-presidente do DEM, afirmou que pedirá a impugnação da filiação de Moro ao União Brasil, partido resultante da fusão entre sua antiga sigla e o PSL.

Para de fato conseguir derrubar Moro, o cacique baiano tem na ponta da caneta um cálculo que garantiria o sucesso da articulação:

“Vamos apresentar, ainda hoje, um requerimento de impugnação da filiação dele. Será assinado pelos 8 membros com direito a voto no partido, o que corresponde a 49% do colegiado. A filiação, uma vez impugnada, requer 60% para ter validade”, declarou ao site O Antagonista.

De acordo com a Veja, além de ACM Neto, assinarão a impugnação o governador de Goiás, Ronaldo Caiado, o senador Davi Alcolumbre (AP), os deputados Efraim Filho (PB) e Professora Dorinha Seabra (TO), o prefeito de Salvador, Bruno Reis, o ex-senador José Agripino e o ex-ministro Mendonça Filho.

Deixe uma resposta