17 de abril de 2024

30 de janeiro de 2024

Moro se filia ao União Brasil e desiste da candidatura à presidência

Ex juiz deixou o Podemos nesta quinta-feira (31) e divulgou nota oficial sobre o seu destino político nas eleições de 2022.

 

Nesta quinta-feira (31), o ex-juiz Sergio Moro (Podemos-PR) decidiu transferir seu domicílio eleitoral para São Paulo.

Em nota, o ex-juiz Sergio Moro confirmou sua saída do Podemos, se filiou ao União Brasil e anunciou que abriu mão de sua candidatura à Presidência da República.

O anúncio da mudança de partido foi feito em um hotel na Zona Sul da capital paulista, onde Moro assinou a ficha de filiação. Ex-ministro do governo Bolsonaro, Moro havia se filiado ao Podemos em novembro do ano passado, pouco mais de um ano após deixar o governo federal, em abril de 2020.

Antes mesmo de ser homologada em cartório, a filiação já é alvo de questionamentos internos de uma ala da União Brasil que não quer que Moro saia candidato ao Palácio do Planalto pela legenda.

Depois de decidir pela filiação à sigla, Moro conversou com ACM Neto, secretário geral do novo partido do ex ministro, que, segundo a Folha de São Paulo, expôs as divergências e sugeriu a ele candidatura a deputado federal ou ao senado.

Em janeiro, vários veículos de comunicação noticiaram que “interlocutores próximos de Moro afirmam que, se ele não chegar a 15% nas enquetes até fevereiro, vai abandonar a intenção de assumir o lugar de Jair Bolsonaro e abraçará a meta de ser senador em 2023”. Após isso ser divulgado na mídia, Moro negou veementemente em suas redes sociais.

Antes, há alguns anos atrás, em entrevista ao Estadão, Moro afirmou que jamais entraria para a política.

“Não, jamais. Jamais. Sou um homem de Justiça e, sem qualquer demérito, não sou um homem da política”, disse Moro ao jornal.

Em 2017, antes de se tornar Ministro, Moro afirmou à BBC: “Não. A reposta é não. Não tenho nenhuma pretensão de ir para uma carreira política. Meu trabalho é como magistrado. Simples assim”.

Já à Revista Veja, no mesmo ano [2017], ele continuou dizendo: “Não seria apropriado de minha parte postular qualquer espécie de cargo político porque isso seria, vamos dizer assim, colocar em dúvida a integridade do trabalho que eu fiz até o presente momento”.

Após confirmação da desistência do ex juiz, o Intercept, que vazou as conversas em que Moro combinava com a acusação (procuradores) sobre os processos da Operação Lava Jato, publicou texto chamado “Obituário” numa matéria aonde lembra que ele tinha expectativa de ser indicado ao Supremo Tribunal Federal, ao se aliar a Bolsonaro.

“Morreu hoje, aos 141 dias, a candidatura presidencial de Sergio Moro, ex-cabo eleitoral e ex-superministro do pior governo da história recente do país e ex-juiz que desfila com um carimbo de ‘parcial’ na testa, tatuado pelo Supremo Tribunal Federal”, escreveu o jornal.

A presidente nacional do Podemos, Renata Abreu, divulgou nota demonstrando estar surpresa com a posição de Sérgio Moro, que sequer houve comunicação interna por parte dele. No texto, ela informou que soube da notícia pela imprensa e alfinetou o ex candidato, dizendo que procura alguém que não possa titubear, que tenha “firmeza de propósitos” e que “não desista de sonhar”.

Confira a nota:

NOTA OFICIAL

Foi mais de um ano de conversas até a filiação de Sergio Moro e o lançamento de sua pré-candidatura à presidência da República pelo Podemos, sempre respeitando seu momento de vida profissional e pessoal e trabalhando para oferecer ao Brasil uma esperança contra a polarização dos extremos.

O Podemos jamais mediu esforços para garantir ao presidenciável uma pré-campanha robusta, a começar por um grande evento de filiação e por toda retaguarda necessária para deslocamentos em segurança pelo País, com total garantia de recursos para sua futura campanha eleitoral.

O Podemos não tem a grandeza financeira daqueles que detém os maiores fundos partidários, como é sabido por todos. Mas tem a dimensão daqueles que sonham grande, com a convicção de que o projeto de um Brasil justo para todos vale mais do que o dinheiro.

Para a surpresa de todos, tanto a Executiva Nacional quanto os parlamentares souberam via imprensa da nova filiação de Moro, sem sequer uma comunicação interna do ex-presidenciável.

Seguiremos focados para apresentar aos brasileiros e brasileiras uma alternativa que olhe nos olhos sem titubear. E que, com firmeza de propósitos, nunca desista de sonhar. Porque, sim, juntos podemos mudar o Brasil!

EXECUTIVA NACIONAL DO PODEMOS

RENATA ABREU, presidente nacional

 

Deixe uma resposta