17 de abril de 2024

30 de janeiro de 2024

Valença: a novela do Mercado do Peixe tem novo capítulo

Ordem de serviço da obra simboliza avanço aguardado há anos pela população.

A ordem de serviço para a reconstrução do Mercado do Peixe de Valença foi assinada na última sexta-feira (25) pela Bahia Pesca, com a presença do deputado federal Raimundo Costa e do presidente Marcelo Oliveira.

A notícia se espalhou pelos aplicativos de mensagem neste sábado e foi compartilhada nas redes sociais, mas o órgão estadual ainda não divulgou a informação oficialmente, nem deu previsão de quando os serviços começam a ser executados.

O parlamentar valenciano postou a respeito do assunto em suas redes sociais, confirmando que obra finalmente vai ser iniciada. Ele publicou fotos em que aparece em frente ao Mercado de Pescados, ao lado da ex prefeita de Valença, Jucélia Nascimento, do ex secretário municipal de Indústria e Comércio, Paulo Martins, do ex Secretário de Pesca, George Santos, da ex vereadora Vane Costa, do vereador Ryan Costa, da atual presidente da Colônia, Maria das Graças, de assessores e simpatizantes.

Raimundo levou também padre Marcos à solenidade que ele chamou de “celebração” na qual ele diz realizar um sonho.

O prefeito Jairo Baptista não participou, mas a atual diretora de Pesca do município estava presente.

O equipamento, que é gerido pela Colônia de Pescadores Z-15, está abandonado há muitos anos e foi interditado para evitar acidentes, por risco de desabamento do telhado.

No projeto, o Novo Mercado do Peixe contará com 35 boxes equipados com freezer mostruário, balança e EPIs beneficiando pescadores que terão um espaço digno para comercializar seus produtos.

Segundo informações, os recursos foram alocados pelo deputado federal Raimundo Costa (Podemos), através de emenda ao orçamento da União com verba destinada à Bahia Pesca. A ação é anunciada desde 2017, prometida pela então gestão municipal de Valença da época, mas a revitalização esbarrou em trâmites burocráticos que se estenderam mais do que o esperado para  regularizar documentos do local, cedido à Colônia desde a gestão do ex prefeito Agenildo Ramalho. De 2019 pra cá, o mandato de Raimundo praticamente assumiu os encaminhamentos da obra que custará mais de 2 milhões.

O projeto passou por diversas etapas, como sondagem, topografia, projeto executivo, até ser autorizada pela Caixa a contratação de empresa.

A previsão de conclusão da obra não foi divulgada.

Raimundo também havia prometido uma Fábrica de gelo, que seria instalada na sede da Colônia.

 

Deixe uma resposta