12 de agosto de 2022

Canção Valenciana

Por Adriano Pereira

0 131

 

 

Foi em minha Valença, Bahia

Que conheci Maria

Do mingau e do beiju…

Beijupirá, siri sem molho, paru…

Branca, Roxa,  Rosas e FLORes

Todas as cores, amores e sabores.

Valença é Amparo, lavagem e procissão

É fé de quem não profana o Sagrado Coração.

É pitanga, Bate-quente, Baixa Alegre, Tamarineiro

É Alto de São Roque, Jacaré, Novo Horizonte, Dendezeiro

Tento, Bolívia, Porto da Imbira, Jambeiro

É Mangue Seco, Tio Virgínio, Quatro esquinas, Beco do Barreiro.

Valença é história

É memória

É agricultura

É maricultura

É cravo, é dendê

Onde me farto de prazer.

É graciosa, Praia de Guaibim

É Una e desagua em mim.

 

Poesia publicada no livro “Às margens férteis do Rio Una”.

 

Sobre o autor:

Adriano Pereira de Queiroz – nascido e criado em Valença, é atualmente Vice Presidente do Conselho de Cultura da Bahia e estudante de Direito no campus XV – UNEB – Valença. 

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.