7 de agosto de 2022

“ACM NETO TEM TODOS OS DEFEITOS DO AVÔ E NENHUMA DAS VIRTUDES DO TIO”, disparou Rodrigo Maia.

Após crise no DEM e troca de farpas, ACM conduz a expulsão do ex-presidente da Câmara Federal que diz que vai provar que ex-prefeito de Salvador criou o "Bolsoneto", se referindo a uma suposta aliança secreta entre Neto e Bolsonaro.

0 33

 

Nesta segunda-feira, o ex-presidente da Câmara, deputado federal Rodrigo Maia (DEM-RJ), voltou a criticar o ex-prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), por ter pedido a expulsão dele à direção da sigla.

No Twítter, Maia comparou ACM Neto a um inquisidor do século do Século XV, Torquemada, conhecido pelo perfil repressor.

“Parece que o ‘Torquemada’ ficou com medo da decisão autoritária e abriu prazo para a defesa. Fica claro a cada dia: ACM NETO TEM TODOS OS DEFEITOS DO AVÔ E NENHUMA DAS VIRTUDES DO TIO LUÍS EDUARDO”, postou em seu perfil oficial.

O deputado se referiu a Antônio Carlos Magalhães, ex-governador da Bahia e avô de Neto, que morreu em 2007 com problemas no coração, e ao tio, ex-deputado federal Luís Eduardo Magalhães, morto em 1998 de ataque cardíaco, ambos do antigo PFL (hoje DEM).

Numa segunda postagem na mesma rede social, o deputado completa: “Na minha defesa vamos deixar claro como ele criou o ‘BolsoNeto'”. O termo tem a ver com a acusação insistida por Maia e rebatida por Neto de que há uma parceria oculta com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

A postagem foi feita após a executiva nacional do Democratas se reunir para encaminhar a expulsão de Maia do partido, comandado por ACM, que enviou ofício abrindo prazo para Maia se defender.

 

Na opinião de Rodrigo Maia, Neto usa o partido pra se vingar dos problemas pessoais e desentendimentos políticos entre os dois, após críticas proferidas em entrevistas contra o ex-gestor municipal soteropolitano. Depois de pedir ao TSE a desfiliação “por justa  causa” para evitar perda do mandato, Maia disse que ACM Neto determinou uma sentença que “vai contra a liberdade”. “Nunca vi alguém pedir expulsão sumária pela crítica a um filiado. Parece que o presidente [ACM Neto] está usando o partido para evitar críticas à gestão dele“. 

Rodrigo Maia expôs ainda que a atitude de Neto ajudará nos argumentos de seu pedido de desfiliação no Tribunal Superior Eleitoral: “Ele fortalece a tese de grave perseguição do partido. Vai fortalecer e deixar cristalina a linha de ação de desfiliação no TSE”, afirmou.

Amigos ao longo de 20 anos, ACM Neto e Rodrigo Maia vem protagonizando brigas públicas em postagens e entrevistas em que um alfineta o outro, após rompimento desde a época das eleições para a presidência da Câmara dos Deputados, na qual, segundo Maia, Neto traiu o bloco ao passar para o lado de Arthur Lira (PP-AL) e abandonar a candidatura de Baleia Rossi (MDB-SP).

“Malandro baiano” e “Esse baixinho não tem caráter” foram alguns dos vários ataques que Maia fez a Neto nos últimos meses. “Rodrigo Maia sai muito menor” e “Ele não aceitou a derrota e se apegou ao poder” foram reações de ACM Neto em entrevistas.

Na avaliação de Rodrigo Maia, Neto disfarça seu apoio a Bolsonaro devido a rejeição do Presidente da República na Bahia, e acusa o ex-prefeito da capital baiana de praticar o chamado “toma lá, dá cá” ao indicar João Roma (Republicanos), ex-chefe de gabinete na gestão de ACM na Prefeitura de Salvador, para o Ministério da Cidadania do Governo Federal, após retirar a orientação do partido para o voto em Rossi e optar pela neutralidade, o que ajudou na vitória elástica de Lira. Neto, por sua vez, nega e diz que considera a nomeação de seu aliado um erro, afirmando que não tem nada a ver com negociação para que Roma assumisse o cargo.

O PT da Bahia também provoca a vinculação da imagem de ACM Neto com Bolsonaro. De acordo com postagens na página oficial da sigla, o DEM é um partido de sustentação do governo federal na Câmara e no Senado e cita exemplos para evidenciar a acusação, como o Senador democrata Marcos Rogério (DEM-RO), um dos maiores defensores do presidente na CPI da Covid, além do ex-deputado federal e ex-Secretário Municipal de Transportes na gestão de Neto em Salvador, José Carlos Aleluia, que atualmente é nomeado como conselheiro da Usina Hidrelétrica de Itaipu; do deputado Paulo Azi, Presidente do DEM da Bahia, que é vice-lider do governo na Câmara; do deputado Elmar Nascimento, que foi líder do bloco do governo na Câmara, e de Marcelo Andrade, indicado pelo DEM da Bahia para a presidência da Codevasf, órgão federal cuja nomeação é de escolha de Bolsonaro.

O Baixo Sul em Pauta já publicou sobre isso. Clique nos links para acessar as matérias:

ACM Neto disfarça sobre aliado ser ministro de Bolsonaro?

 

Rodrigo Maia diz que ACM Neto deve ser o vice de Bolsonaro em 2022

 

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.