12 de agosto de 2022

Estado prorroga até 30 de maio as inscrições para os cursos de qualificação profissional

Programa Educar para Trabalhar oferece 200 mil vagas para estudantes matriculados no Ensino Médio da Rede Estadual e também para quem concluiu a modalidade nos últimos anos.

0 27

O governador Rui Costa anunciou, na noite desta terça-feira (18), a prorrogação, até o dia 30 de maio, das inscrições para os 44 cursos gratuitos de qualificação profissional (Formação Inicial e Continuada – FIC), ofertados por meio do Programa Educar para Trabalhar. Os cursos são destinados a estudantes regularmente matriculados no Ensino Médio da rede pública estadual de ensino no ano letivo de 2020/2021, além dos egressos do Ensino Médio ou de cursos técnicos de nível médio (Educação Profissional e Tecnológica) que concluíram entre os anos de 2016 e 2020. As inscrições podem ser realizadas no endereço https://bityli.com/MgdKr
Com a mudança, a matrícula será realizada no período de 5 a 13 de junho, de forma automática, sem a necessidade da presença do candidato, e as aulas serão iniciadas no dia 14 de junho. Dentre os cursos ofertados, destacam-se: Programador de Dispositivos Móveis; Programador Web; Desenhista de Produtos Gráficos Web; Auxiliar de Laboratório de Microbiologia; Agente de Informações Turísticas; Assistente Administrativo; Desenhista da Construção Civil; Operador de Processos Químicos Industriais, Agricultor Agroflorestal; Confeiteiro; Padeiro; e outros. A relação completa dos cursos pode ser conferida na página do programa no Portal da Educação, no endereço http://www.educacao.ba.gov.br/educarparatrabalhar
São 200 mil vagas, distribuídas em 10 Eixos Tecnológicos, em um total de 3.567 turmas. Os cursos objetivam preparar os jovens e adultos para a inserção e a reinserção no mundo do trabalho.
Requisitos – Entre os requisitos para a inscrição, o candidato deve ser residente e domiciliado no Estado da Bahia; possuir Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) válido; ser estudante regularmente matriculado no Ensino Médio da rede pública estadual de ensino no ano letivo de 2020/2021 e possuir frequência neste ano letivo; ou ser egresso do Ensino Médio e do curso da Educação Profissional Técnica de Nível Médio da rede pública estadual, no período de 2016 a 2020.
Rui abordou, ainda, a questão dos benefícios concedidos aos estudantes e às famílias, por meio do Programa Estado Solidário. O programa Bolsa Presença oferece uma remuneração de R$ 150 mensais, durante seis meses, para famílias com estudantes matriculados na rede estadual e cadastradas nas faixas de pobreza e extrema pobreza do CadÚnico. Já os estudantes selecionados pelo Mais Estudo dão monitorias de Língua Portuguesa, Matemática e Educação Científica da Educação Básica, recebendo R$ 100 mensalmente. O Vale-alimentação, por sua vez, oferece um auxílio de R$ 55 por estudante.
Fonte: Educação Bahia (SEC)
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.